segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Os Idosos na Sociedade Actual

Uma das transformações sociais mais importantes que ocorrerem na sociedade é a nova perspectiva social da 3ªIdade.
Tendo como objectivo a visão de uma população com melhor qualidade de vida; mais activa ao nível educativo social e cultural.
Assim sendo o grupo social de 3ª Idade atrai novos interesses individuais e colectivos, devido as suas implicações familiares, sociais, económicas e culturais.
Sendo uma área de novos mercados, novos conceitos, mas contudo e principalmente de sentimentos partilha, afectos, carinhos e essencial de um ser Humano com uma vida….

Ter sempre em mente o objectivo do bem-estar, reflectido num sorriso dum ser Humano.

sábado, 29 de agosto de 2009


Saber +

Calendário Escolar 2009/2010

Educação Pré-Escolar -
Início das actividades lectivas
Termo das actividades lectivas

Entre 9 e 15 de Setembro Entre 5 e 9 de Julho

Educação Pré-Escolar -
Interrupções das actividades educativas
5 dias úteis (seguidos ou interpolados)

1.º Entre 21 de Dezembro e 1 de Janeiro, inclusive
2.º De 15 a 17 de Fevereiro, inclusive
3.º Entre 29 de Março e 5 de Abril, inclusive

Ensinos Básico e Secundário -
1.º Período
Início Entre 10 e 15 de Setembro
Termo 18 de Dezembro
2.º Período
Início 4 de Janeiro
Termo 26 de Março
3.º Período
Início 12 de Abril
Termo 8 de Junho para o 9.º, 11.º e 12.º anos e 18 de Junho para os restantes anos de escolaridade


Ensinos Básico e Secundário -
Interrupções Datas

1.º De 19 de Dezembro a 3 de Janeiro, inclusive
2.º De 15 a 17 de Fevereiro, inclusive
3.º De 27 de Março a 11 de Abril, inclusive


Ensino Especial -
1.º Período
Início 3 de Setembro
Termo 8 de Janeiro
2.º Período
Início 13 de Janeiro
Termo 18 de Junho


Ensino Especial -
Interrupções Datas

1.º De 21 de Dezembro a 25 de Dezembro, inclusive
2.º De 15 a 17 de Fevereiro, inclusive
3.º De 2 a 5 de Abril, inclusive

SET SEX 4 22H00
PRAÇA VELHA
ORG: TMG E AGÊNCIA PARA A PROMOÇÃO DA GUARDA
TEATRO / ENTRADA LIVRE / 45M / M4
ACTO SEGUINTE – Festival de Teatro da Guarda

NUSQUAM Teatro do Mar

“NUSQUAM” é um espectáculo visual, sensitivo e emocional. Representado em quatro estruturas cénicas, grandes esferas transparentes e um ecrã vídeo, onde tudo é projectado por detrás dos corpos dos actores, suspensos nos seus habitáculos. O espectáculo cruza as linguagens do teatro físico com a acrobacia aérea, o vídeo e a música original. Trata-se de uma reflexão sobre a natureza humana; um retrato possível do Homem contemporâneo na busca de si próprio e da sua razão de ser no mundo. O espectador é colocado diante da “enfermidade” do Homem contemporâneo: a procura desesperada para sobreviver à pressão da coerção social que nos aprisiona em “bolhas” particulares e nos transforma em indivíduos padronizados e reduzidos a normas sociais.

COMUNICADO

Tragédia na APDASC: Incêndio arrasa Sede da Direcção Nacional

No dia 27 de Agosto de 2009, pelas 21h50m um incêndio arrasou a Sede Nacional da APDASC, a Secretaria do Corpo Nacional de Escutas - Agrupamento 24 e um Anfiteatro.

Unir Esforços!!

Animadores!!!

Penso que deviamos unirmo-nos,com intuito de ajudar a Associação.

Que iniciativas a desenvolver ??

Um abraço

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

I Congresso Internacional de Animação Sociocultural na Terceira Idade

Vai realizar-se o I Congresso Internacional de Animação Sociocultural na Terceira Idade, nos dias 5, 6 e 7 de Novembro de 2009, na cidade de Chaves. Sócios/as da APDASC (com as quotas em dia) têm 20% de desconto na inscrição. Saber+

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Chocalhos - Festival da Transumância



De 18 a 20 de Setembro 09, irá decorrer o Chocalhos, o Festival da Transumância que trará ao Fundão as sonoridades do Mediterrâneo. Haverá workshops, exposições e conversas em torno do universo pastoril e dos segredos feitos da lã.

Animador - Elemento Preponderante na Sociedade

A formação técnica do Animador permite uma facilitação na utilização das técnicas e praticas para uma melhor análise da realidade social e material, desenvolver projectos e gerir recursos materiais e humanos, dinâmica de grupos e a avaliação
Contudo os Animadores são agentes especializados cujas funções abrangem uma diversidade de opções, desde a formação das pessoas, à formação de grupos, à animação comunitária e cultural. As funções do Animador foram-se alterando e moldando perante as necessidades diferenciadas que surgiram no tempo e no território. O Animador tem a função de organização do tempo, da gestão dos recursos humanos, financeiros e materiais. Ao promover grupos e favorecendo o seu desenvolvimento através da comunicação, quer a nível interno como externo, o Animador está a assumir a função de estabelecimento de relações. Na sua função de educador o Animador proporciona ferramentas que facilitam a aprendizagem individual e colectiva. Na função de investigação o Animador utiliza métodos científicos para o desenvolvimento da sua actividade.
Por esse motivo o Animador é peça essencial no desenvolvimento social, educativo e cultural.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

domingo, 2 de agosto de 2009

Animação Sociocultural e Desenvolvimento Comunitário

Animação Sociocultural tem como estratégia de intervenção o desenvolvimento comunitário, com a finalidade de promover a participação e dinamização social, através do processo de responsabilização de indivíduos na gestão e direcção dos seus próprios recursos.

É um desenvolvimento integral e “endógeno”, integral, visto que é capaz de unir entre si, os progressos económicos, sociais, culturais, morais.
Sendo a animação Sociocultural um instrumento de motivação e participação da mudança pessoal e estrutural, sendo um processo dinâmico entre a administração, os técnicos e a população, organizado através de associações, movimentos sociais, partidos políticos, instituições e redes inter-associativas.

O desenvolvimento comunitário surge das necessidades de uma articulação da sociedade, e o ser humano ao nível da adaptação, inovação e as mudanças quantitativas.

1. Desenvolvimento Comunitário como Fortalecimento da Sociedade Civil

O Desenvolvimento Comunitário tem como objectivo proporcionar aos agentes o desenvolvimento pessoal, social e cultural, sendo eles as pessoas fundamentais na interacção e na potencialização social.

• Consciencialização das carências e necessidades.
• Motivação para procurar as respostas necessárias
• Associar-se para levar a cabo as mudanças e as transformações
• Revelação e comparação para uma divisão adequada e socialização do poder.

Tendo como objectivo as mudanças e a transformação das estruturas políticas, económicas, sociais, educativas e culturais.

Segundo “Touraine” a democracia é o meio político de salvaguardar a diversidade, de fazer viver juntos indivíduos e grupos cada vez mais diferentes uns dos outros numa sociedade que deve funcionar também como uma unidade “Touraine” 1994 P. 259

Para uma maior interacção da sociedade civil necessita de uma real distribuição e divisão do poder:

• Económico
• Social
• Educativo
• Cultural
• Politico

De forma organizada e associativamente para uma mudança a nível estrutural e implica a mudança de politicas sociais de modo comunitário na tentativa de um desenvolvimento adequado em que os sujeitos de intervenção não sejam considerados unicamente pelas carências, mas como portadores de potencialidade que necessitem dos recursos adequados para se desenvolverem.

2.Praticas de Animação Comunitária a Partir dos Agentes da Intervenção Comunitária

A Animação Cultural tem como objectivo motivar e dinamizar a sociedade civil, com recursos os métodos, as técnicas e estilos na promoção da participação e dinamização da comunidade.

• Os serviços oferecidos ao território (socioeducativos, sociolaborais, socioculturais, sanitários, sociais.)
• Os diversos profissionais que trabalham na comunidade (serviços sociais, educação, cultura, saúde).
• As associações de voluntários

2.1. Os Profissionais que Trabalham na Comunidade

• Os agentes sociais, educadores sociais, monitores, dirigentes de clubes de tempos livres e ócio, centros abertos, profissionais, educadores desportivos de adultos pedagogos, trabalhadores sociais, sociólogos, gestores culturais, psicólogos.
• Deve-se efectuar algumas perguntas na medida de intervenção sob uma perspectiva comunitária, com intuito de uma visão de um profissional diferente.
• Onde e de que maneiras vão executar o trabalho?
• Sob a visão de desenvolvimento da comunidade vão actuar?
• Que processos participativos tentarão criar e desenvolver?
• A favor de quem e de que?
• Que estratégia e que processos de desenvolvimento pessoal e comunitário vão executar?
• Como vão levar a cabo esta tarefa coordenada dentro de uma comunidade nos seus projectos, acções e avaliações?

Sendo por isso necessária uma formação adequada para uma melhoria qualitativa da comunidade
• Uma nova visão das suas formações e reciclagem, tendo em conta uma perspectiva comunitária e preventiva, em ordem à programação, execução e avaliação.
• Conhecimento da sua intervenção específica, saiba por em prática o trabalho em equipa, a colaboração e coordenação, o intercâmbio de experiências, a comunicação interdisciplinar e intersectorial.
• Coordenação comunitária de profissionais e serviços
• Necessidade de voluntariado
• Aquisição formativa e, aptidões de habilitação relacional
Nos projectos comunitários é necessário profissionais com uma visão definida e programática dos fins, método e acções da intervenção que torne possível a cooperação, interacção entre os participantes, voluntários e utente, contudo a animação sócio cultural necessita:
• Criação de equipas
• Favorecer um clima de responsabilidade, de pensamento crítico e de comunicação.
• Profissional – animador

Festas Populares

Sucedem-se as Festas Populares!!!

Época de descanso,de visita às raízes, de gozo, ”matar” as saudades e do merecido descanso.
Sendo já uma referência no calendário, as festas locais e regionais são sempre aguardadas com expectativa, alguma nostalgia e ansiedade como forma de receber as gentes da terra.
São espectáculos para todos os gostos que vão animar as noites do mês de Agosto, vão encher as praças e os largos de gente que se divertem, passeiam ou conversam com a disponibilidade que as férias proporcionam.
Momentos de convívio e reencontro espontâneos de amigos.
Tendo como objectivo uma política social e de dinamização cultural, sendo factores importantes para uma maior interacção entre o ser humano e o meio.

Boas Férias e Boa Diversão!

Moazz - Ciclo de Jazz do Fundão

1-Agosto - Cottas Club - LOUNGE

5- Setembro - Quinteto Harafè - LOUNGE



Cottas Club

Os Cottas Club, são um grupo de Jazz Dixieland oriundo do Oeste de Portugal, constituido por 6 músicos polivalentes, adequando-se a intervirem em momentos onde Musica, Glamour e Boa disposição, andam de mãos dadas.

Esta banda oferece um repertório jazzistico dos anos vinte mas reinterpretado com o estilo que Loius Armstrong & All Stars impuseram nos anos cinquenta. Precisamente o nome “COTTAS CLUB” pretende relembrar o novo jazz que se fazia ouvir no famoso bar de New York, COTTON CLUB. Paradoxalmente a gíria na palavra “COTTAS” vem reforçar o estilo antigo desta musica.

Assim a banda é orientada à música dixie, aquela que possui o original e genuíno estilo de New Orleans, capital do Lousiana, cidade berço do Jazz. No seu vasto repertoire contam com blues, rags, marchas, swings, foxtrots em grandes classicos como "When the Saints Go Marching In", "Charleston", “Mack the knife”, "I've Found a New Baby" entre outros.

Alem da garantia de animação, este grupo oferece uma qualidade artística impar, sendo habitual representar Portugal em Festivais Internacional Dixieland.

Rafael Neves (Clarinete) | Pedro Morais (Saxofone) | Mário Nunes (Trompete, Voz ) | Hugo Margalho (Trombone) | Jorge Maia (Sousaphone) | Alexandre Maia (Washboard)