domingo, 8 de julho de 2018

Animação Sociocultural na Promoção da Saúde


Animação Sociocultural na Promoção da Saúde

O Envelhecimento demográfico é, de um modo geral, uma realidade vivida a nível mundial. Tem, todavia, mais expressão nos países mais desenvolvidos, como à escala da União Europeia e, particularmente, em Portugal é uma realidade, atualmente vivida a nível mundial, e neste século XXI uma das futuras preocupações é o envelhecimento, sendo o envelhecimento da população um fator presente na maioria dos países, o envelhecimento da população é uma situação que deve interessar e preocupar a todos.

Envelhecimento demográfico tem sido visto, sobretudo, como um problema social com implicações pessoais, sociais e económicas. No entanto, há que salientar, que para além das perdas inevitáveis que o envelhecimento demográfico transporta, temos que salientar os aspetos positivos, nomeadamente associados ao capital de conhecimentos acumulado e à experiência pessoal e profissional. Esta riqueza associada à geração sénior devera ser, por certo, um fator a ter em conta na formulação de políticas para a terceira idade. o domínio do conhecimento e da experiência, que permitirá aos indivíduos transmitir de outra forma a sociedade, o seu conhecimento, as suas vivências.

A Animação Sociocultural tem vindo a ganhar crescente preponderância na sociedade atual como um poderoso recurso de intervenção, quer na vertente educativa quer na vertente gerontológica, visando o desenvolvimento do ser humano e a transformação social.

A Animação Sociocultural com a sua componente lúdica tem permitido, ajudar a contribuir na prevenção para as necessidades mais básica e importantes do ser humano – a saúde, através da disponibilização de meios que permitem um envelhecimento mais valorizador das ações e responsabilidade, mais humanizado, satisfatório ou ativo não sujeito só a fatores como a genética, as ações e responsabilidade individuais, afetos, amizades e contextos de vida.

Desenvolvendo e definindo um conjunto de práticas desenvolvidas a partir do conhecimento que se tem de uma determinada realidade em contexto social, cultural e educativo. A sua função é a estimulação, o desenvolvimento e a conservação do indivíduo e do património.

A Animação Sociocultural possui um conjunto de processos que potenciam o desenvolvimento do ser humano e das comunidades, utilizando técnicas culturais, sociais, educativas, desportivas e recreativas. Estas constituem um instrumento multidisciplinar e incontestável de intervenção ao nível do individuo, do grupo e da comunidade, através das suas instituições e/ou organismos.

Devido às exigências sociais, tanto pela oferta quantitativa como qualitativa, a Animação Sociocultural ganhou um papel preponderante na sociedade ao nível da qualidade de vida, quer pela sua função essencial, quer pelo seu caráter multidisciplinar.

Por tudo isto, a presença da Animação Sociocultural nas instituições e organismos, que têm um papel preponderante nas comunidades, deveria construir uma prioridade e estratégia institucional ser um facto consumado. Contudo, podemos afirmar que nas instituições públicas na esfera da (IPSS) e privadas (lares, centros de dia…) ligadas à 3ª idade, nos Centros Educativos, nas associações de desenvolvimento cultural e/ou regional, nas autarquias locais, entre outras, a valência da Animação Sociocultural ainda está muito aquém das expectativas.


A contratação de Técnicos Superiores de Animação – profissionais licenciados com qualificação e formação adequadas – não tem sido não é uma prioridade para as instituições. Quando os idosos e as famílias procuram, cada vez mais, a qualidade dos serviços, não faz sentido a contratação de pessoal não especializado, em detrimento de uma oferta de serviços de maior nível de especialização.

Qualquer instituição deve primar pela exigência e pela qualificação dos seus recursos humanos. Nas instituições em que a oferta dos serviços é especializada, onde os Técnicos Superiores de Animação aplicam as suas técnicas multidisciplinares, os benefícios são inquestionáveis a todos os níveis: motivação, prevenção e resolução de ocorrências.

Compete às instituições promover a contratação e dotarem os profissionais das competências adequadas que permitam zelar pela promoção e a qualidade dos serviços nas respetivas instituições e, consequentemente, a qualidade de vida dos indivíduos.

Cabe aos utentes das instituições, ou aos seus familiares, exigir um serviço diversificado e de qualidade.
Esse é um fator decisivo para que a Animação Sociocultural se possa constituir verdadeiramente como uma área disciplinar imprescindível de intervenção na qualificação da vida dos idosos. Na perspetiva do Acreditar ser possível modificar esta visão da sociedade, modificando inclusive a visão que os idosos possuíam de si mesmos e Acreditar no papel da Animação Sociocultural.

Bruno Trindade &  Ricardo Pocinho & Domingos Santos
btrindade30@hotmail.com & pocinho@hotmail.com& domingos.santos@ipcb.pt


terça-feira, 10 de abril de 2018

Dimensões de intervenção dos Animadores Socioculturais.

Para um maior conhecimento da sociedade as dimensões de intervenção dos Animadores Socioculturais.

Segundo Lopes (2006), quando falamos de Animação Sociocultural, temos de ter presente a natureza tridimensional das suas estratégias de intervenção – designadamente (1) a dimensão etária: infantil, juvenil, adultos e terceira idade; (2) o espaço de intervenção: animação urbana, animação rural; e (3) a pluralidades de âmbitos ligados a setores de áreas temáticas, como sejam a educação, o teatro, os tempos livres, a saúde, o ambiente, o turismo, a comunidade, o comércio, o trabalho. É importante salientar que estas estratégias dão origem a um vasto conjunto de termos para designar as múltiplas formas de atuação e incidências da Animação Sociocultural, tais como, Animação socioeducativa, Animação cultural, Animação Teatral, Animação dos tempos livres, Animação sociolaboral, Animação comunitária, Animação rural, Animação turística, Animação terapêutica, Animação infantil, Animação juvenil, Animação na terceira idade, Animação de adultos, Animação de grupos em situações de risco, Animação em hospitais, Animação em prisões, Animação económica, Animação comercial, Animação termal, Animação desportiva, Animação musical, Animação cinematográfica, Animação de bibliotecas, Animação de museus, Animação escolar.

Lopes, M. S. (2006), Animação Sociocultural em Portugal, Chaves: Editora Intervenção.

domingo, 8 de abril de 2018

Animação Sociocultural e Gerontológica ao Domicílio

Animação Sociocultural, Gerontológica e Terapêutica ao Domicílio

Benefício a flexibilidade dos horários e não existe necessidade de deslocamento do utente.

Atividades ao nível
 ·Animação Terapêutica;
· Psicomotricidade;
· Expressão Física Motor - Estimulação da mobilidade e autonomia;
· Reabilitação e Desenvolvimento Cognitivo,
Contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e famílias.
Contatar: Dr. Bruno Trindade
Licenciado em Animação Sociocultural;
Mestrado em Animação;
Pós Graduação Mestrado em Gerontologia Social;
Frequência de Doutoramento.
Telm: 966 054 828
Email: btrindade30@hotmail.com

domingo, 21 de janeiro de 2018

Artigo na Revista Práticas de Animação



Artigo na  Revista Práticas de Animação

https://issuu.com/albinoviveiros/docs/pr__ticas_de_anima____o

na pág 118


domingo, 16 de julho de 2017

Artigo

Mais um passo para um objetivo Doutoramento...! 
Quero nesta fase agradecer ao meus Orientadores pelo apoio e incentivo: Maria José Conde & Ricardo Pocinho, Diretor do AENACB e Prof. Domingos Santos ESE.IPCB pela força ... 
A alguns amigos/as e família pela força todos os dias... eles/as sabem quem são (A.; M.; E.; S.)
Obrigado... mais um pequeno passo para a valorização da " Animação Sociocultural " 
Artigo "ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DA ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL EM CONTEXTO EDUCATIVO "
Ainda falta uns passos mas vou trabalhar para os objetivos!


Visualizar artigo:

Artigo - Revista Quadernsanimacio.net

http://quadernsanimacio.net/index_htm_files/Estudo%20da%20iportancia.pdf

domingo, 25 de junho de 2017

Revista Práticas de Animação 2017

Receção de artigos | Revista Práticas de Animação 2017

A revista Práticas de Animação tem privilegiado a reflexão sobre o corpus teórico e as práticas de animação sociocultural, numa perspetiva interdisciplinar e de reflexão plural partilhada por animadores, educadores, investigadores e outros atores sociais com experiências e vivências profissionais que permitem se posicionarem no campo teórico-prático da animação sociocultural. 

Os artigos poderão  versar sobre a animação sociocultural, animação socioeducativa, animação turística, o ócio, o lazer e os tempos livres, as políticas culturais, a pedagogia social e a educação sociocomunitária, entre outros domínios de investigação e intervenção privilegiados para a ação dos animadores. 

Neste quadro de realização, convidamos todos os interessados a colaborar no próximo número da revista. para tal poderão enviar os vossos contributos até o próximo mês de setembro de 2017, para o e-mail: revistapraticasdeanimacao@gmail.com

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Animação Sociocultural e Gerontológica ao Domicílio

Animação Sociocultural e Gerontológica ao Domicílio têm como benefício a flexibilidade dos horários e não existe necessidade de deslocamento do utente.
Atividades ao nível:
· Psicomotricidade;
· Exercício Físico - Estimulação da mobilidade; treino de autonomia;
· Reabilitação e Desenvolvimento Cognitivo,
· Massagens Terapêuticas.
Contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e famílias.
Contatar: Dr. Bruno Trindade
Licenciado em Animação Sociocultural;
Mestrado em Animação;
Pós Graduação Mestrado em Gerontologia Social;
Frequência de Doutoramento.
Telm: 966 054 828
Email: btrindade30@hotmail.com