sábado, 13 de setembro de 2008

Informação

A revisão global da convenção Colectiva de Trabalho (CTT) entre a CNIS e a FNSE; reconheceram o profissional de Animador Cultural – com o grau académico de licenciatura.

O Animador Cultural está enquadrado na classe dos trabalhadores sociais;


"... Organiza, coordena e ou desenvolve actividades de animação e desenvolvimento sociocultural junto dos utentes no âmbito dos objectivos da instituição; acompanha e procura desenvolver o espírito de pertença, cooperação e solidariedade das pessoas, bem como proporcionar o desenvolvimento das suas capacidades de expressão e realização, utilizando para tal métodos pedagógicos e de animação."

Constitui condição de admissão para o exercício das funções de Animador Cultural de grau I, a titularidade de licenciatura; e para o desempenho de funções de Animador de grau II, possuir o 12ª ano de escolaridade ou habilitações equivalentes, ou ainda, formação profissional específica.

A carreira do Animador Cultural de grau I desenvolve-se pelas categorias de 3ª, 2ª e 1ª. De acordo com o anexo IV e a Tabela A (retribuições mínimas de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2008), do anexo V do CCT, o profissional de:
nível 3, tem uma retribuição mínima de 999 euros;

nível 2, corresponde o valor de 1061 euros
profissional de nível 1, a retribuição de 1138 euros.(Apdasc,2008)

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Reflexão

“uma das funções chave da animação sociocultural consiste no facto de as pessoas e os colectivos se tornarem em agentes e protagonistas do seu próprio desenvolvimento…” (TRILLA, 2004: 255).

Tendo por base a mesma fonte, o animador deve “… gerar processos de
participação, criando espaços para a comunicação dos grupos e das pessoas,
tendo em vista estimular os diferentes colectivos a empreenderem processos
de desenvolvimento social e cultural”.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Mímica

A Mímica vem do termo grego «minos» que significa actor, imitador. É um nome de uma brincadeira tradicional da qual podem participar crianças, adolescentes e adultos. Possui variantes, mas, basicamente, consiste em uma pessoa ter que representar somente utilizando a mímica, sem usar quaisquer códigos, letras ou palavras.
Arte da mímica é o tipo de teatro que os actores utilizam o corpo/gestos como ferramenta principal do espectáculo, mas podem ser utilizados outros elementos de acção, mas vêem sempre como suporte a acção e não como elementos principais de movimento.

Podemos dizer que a Mímica e a arte de exprimir, representar os pensamentos, os sentimentos histórias e acontecimentos por meio de gestos.

O Centro da atenção reside totalmente na forma da acção e nas atitudes, é pela mímica que o bebe se faz compreender, muito antes de aprender a comunicar pela fala. Desde muito cedo, espontâneo e instintivamente, expressa a sua fome, e sua alegria, a sua dor, o seu desejo de dormir.


É também pela mímica que nos fazemos entender a quem desconhece a nossa língua. Possibilitando a comunicação através de gestos e expressando os desejos, sentimentos e ideias elementares por um código de sinais, de afeições, de atitudes de certa forma conhecidas e compreendidas universalmente.


O Método de treino para a mímica pode ser dividido em 3 partes:


Teoria:
• Mímica ocidental: de onde vem para onde vai?
• O pai de mímica moderna ocidental: Etienne Decroux
• O que e pantomima, mímica corporal
• Mímica abstracta e literal


Técnica:
• Exercício sobre a Mímica Corporal de Decroux
• Construção de dramaturgia corporal
• Ilusão: Os “Efeitos especiais” na mímica
• Treino de repertório de mímica abstracta e literal
• Relação com espaço real e imaginário


Criatividade:
• O corpo como ferramenta da narrativa
• Improvisos físicos
• Criação de cena corporal
• Trabalhar texto como suporte ao movimento
• Improviso com mascaras e objectos